Presidente Bolsonaro comunica mudanças em regras para utilização de voos em aeronaves da FAB…

Dono da Rede TV: “Petra Costa , faça um filme sobre como sua família roubou bilhões do Brasil”…
6 de fevereiro de 2020
Astronauta americana volta à Terra após bater recorde de permanência no espaço…
6 de fevereiro de 2020

Presidente Bolsonaro comunica mudanças em regras para utilização de voos em aeronaves da FAB…

O proprietário da RedeTV, Marcelo de Carvalho utilizou as redes sociais para criticar a Diretora Petra Costa, cineasta responsável pelo filme ‘Democracia em Vertigem’, que narra os fatos relacionados à queda de Dilma Rousseff sob a ótica da esquerda. Marcelo afirmou: “Faça um filme sobre como sua família roubou bilhões do Brasil” ao compartilhar um post de Eduardo Bolsonaro sobre o assunto. O Empresário também insinuou a participação do pai de Petra Costa em um suposto escândalo em Minas Gerais. Petra Costa vem recebendo críticas por ser neta de um dos fundadores da construtora Andrade Gutierrez.
A decisão veio depois que o ex-secretário executivo da Casa Civil, Vicente Santini, usou um avião da FAB para ir de Davos, na Suíça, onde participou do Fórum Econômico Mundial, para Nova Delhi, durante visita de Bolsonaro à Índia. Na ocasião, Santini substituía o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, no cargo. Ao retornar ao Brasil, o presidente exonerou o secretário. De acordo com o presidente, entretanto, não haverá mudança nas normas que tratam do uso das aeronaves oficiais. “Vale a conscientização”, disse ele, destacando que várias vezes a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e mesmo o ministro da Economia, Paulo Guedes, já viajaram em companhias aéreas comerciais para fora do país. O caso: Reportagem da Folha mapeou, em dados divulgados pela FAB, os deslocamentos feitos por autoridades federais no primeiro ano de governo e constatou 12 missões ao exterior solicitadas para uso exclusivo do ministro para “viagens a serviço”. Em todas, não mais do que cinco passageiros foram a bordo. Com cinco missões,Ernesto Araújo (Relações Exteriores) foi o que mais solicitou aeronave dentro dessas condições. O ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) utilizou os serviços da FAB em três oportunidades fora do Brasil. Na lista de ministros estão ainda Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral), Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) e Paulo Guedes (Economia). Cada um fez um voo. O uso exclusivo de uma aeronave da FAB para viagem no exterior levou nesta semana à destituição de Vicente Santini do cargo de secretário-executivo da Casa Civil.
O voo de Santini: Então número dois do ministro Onyx Lorenzoni, Santini requisitou na semana passada um jato para ele e duas assessoras irem de Davos (Suíça), onde participou do Fórum Econômico Mundial, para a Índia, onde o presidente Bolsonaro cumpria agenda oficial, conforme noticiou o jornal O Globo. Santini ocupava a função de ministro interino da Casa Civil, pois Onyx está de férias. Bolsonaro classificou a atitude do secretário como imoral, por não usar voo comercial, e decidiu demiti-lo. “O que ele fez não é ilegal, mas é completamente imoral. Ministros antigos foram de aviões lá comercial, classe econômica. Eu mesmo já viajei no passado, não era presidente, para Ásia toda de comercial, classe econômica, e não entendi”, disse.
O subprocurador-geral do Ministério Público de Contas, Lucas Furtado, representou nesta quarta-feira (29) contra Santini “pelo dano causado ao erário por ato flagrantemente antieconômico”. Também nesta quarta, Santini foi nomeado assessor especial da Secretaria Especial de Relacionamento Externo da Casa Civil, decisão tomada após os filhos do presidente, de quem o ex-secretário é próximo, intercederem pela sua permanência no governo. A decisão de renomeá-lo, porém, foi revogada pelo próprio Bolsonaro 12 horas depois. O uso de aeronaves da FAB é regulamentado por dois decretos do governo federal. Presidente da República, vice-presidente, e demais chefes de Poderes podem utilizar sempre as aeronaves federais em qualquer que seja seu deslocamento. Ministros de Estado e demais ocupantes de cargo público com prerrogativas de ministro, comandantes das Forças Armadas e o chefe do Estado-Maior do Conjunto das Forças Armadas podem fazê-lo em três hipóteses: motivos de segurança, emergência médica e viagens a serviço. Os dados sobre os voos são listados no site da FAB no dia útil seguinte à viagem. As informações públicas são local de destino e origem, cargo do solicitante, motivo da solicitação, horário de pouso e decolagem e número de passageiros – não há identificação dos que embarcaram. A primeira viagem de Ernesto Araújo em voo da força aérea foi a Washington em fevereiro de 2019. Além do chanceler, outros quatro ocupantes viajaram na aeronave, segundo os registros oficiais. (Fonte: Yahoo Notícias – Foto: Eraldo Peres;AP Photo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *