Prefeito de Rubineia professor Lugato concede primeira entrevista exclusiva, ao JR & R…

Hamilton e Mercedes anunciam renovação de apenas um ano: entenda o que isso significa para o futuro do heptacampeão na F1…
8 de fevereiro de 2021
Equipe da Saúde de Rubineia em ação…
10 de fevereiro de 2021

Prefeito de Rubineia professor Lugato concede primeira entrevista exclusiva, ao JR & R…

Na manhã de segunda-feira, 8/2, o prefeito de Rubineia Osvaldo Lugato Filho concedeu a primeira entrevista exclusiva, ao Jornal de Rubineia & Região. O chefe do Executivo faz um balanço da situação em que recebeu o município e projeta o que espera poder realizar ao longo de seu mandato (2021/2024). Entre os assuntos abordados estão a Saúde, a Casa de Apoio, Educação e cultura, e Turismo e Meio Ambiente. Confira!
JR & R: no setor da Saúde, quais são as ações que você pretende implantar para melhorar o atendimento neste segmento tão importante à população?
Prefeito: Bom, o primeiro passo foi procurar alguém com uma experiência externa para organizar o Posto de Saúde. Temos excelentes profissionais lá dentro, eu não dúvida disso, mas digamos que o atendimento carecia de uma humanidade maior, pois muitas vezes o funcionário agia de forma mais pessoal, pois o próprio sistema implantado favorecia a isso. Eu nunca presenciei um diálogo mais aberto entre o executivo e os funcionários, por exemplo. Por isso foi tão importante buscar alguém de outra realidade, para que partindo das experiências que já teve em outros lugares, como Aparecida d’Oeste, pudesse aproveitar e implantar algo que se adaptasse a nossa realidade.Por isso acho que o Gilberto Beloto é uma grande soma, por ser uma pessoa de diálogo de observação, para reorganizar o setor de medicação e separar setores como fiscalização e vetores, para evitar possível contaminação nessa fase de pandemia. Claro que agregado a tudo isso está a valorização do funcionário, que é de suma importância.
JR & R: ainda no segmento da saúde, em relação a casa de apoio em Rio Preto, que funcionou durante quatro anos através de uma associação filantrópica, e atualmente se encontra inativa. É factível que ela volte a funcionar ainda neste ano?
Prefeito: Pois é, a casa de apoio funcionou por quatro anos sem nenhum tipo de apoio por parte do executivo. E finalizou pelo fato de existir nenhuma diretoria que quisesse assumir, mas só temos que agradecer, e muito, ao Fernando e a Solange, o pastor Celso, e Zelão e a sua esposa que realizaram um ótimo trabalho, e fizeram um grande favor entregando o prédio reformado e com o aluguel pago até janeiro, apesar de, em dezembro, termos feito uma “vaquinha” para um mês de aluguel. No mês de janeiro não pudemos funcionar, pois não estávamos documentados para assumir, mas já conversamos com a imobiliária, retomamos o aluguel e, a partir de então, quem está assumindo o aluguel é a Prefeitura de Rubineia, cujo o pagamento do primeiro aluguel já foi feito, e agora estamos correndo atrás da documentação, pois precisamos agir de forma legalizada. E não tenho dúvida de que, dentro de um prazo de 30 dias, a população de Rubineia e os motoristas que transportam os pacientes poderão contar com a casa de apoio novamente, pois isso é uma conquista imensa, talvez um dos maiores projetos do município nos últimos tempos, e a gente jamais iria deixar de abraçar essa causa, que é justa e humana.
JR & R: Agora vamos falar da educação. A educação de Rubineia vem conquistando níveis de excelência. Como você que é professor pretende atuar na Educação Fundamental?
Prefeito: Bom primeiro vale destacar que temos uma equipe muito boa, tanto na direção como no corpo docente e servidores da educação. A nossa maior preocupação, agora, é dar suporte para educação para viabilizar o ensino remoto, infelizmente essa é a realidade, pois não podemos ainda abrir para as aulas presenciais, pois esse é um ponto de vista nosso e do comitê de combate a Covid-19 e dos demais setores organizados da sociedade. A nossa educação é boa, mas ela pode melhorar muito, sim, entre outras coisas está a valorização dos funcionários, a capacitação para o ensino a distância, buscando isso através de uma das instituições especializada neste segmento. Estamos também organizando um grupo de pessoas membros do Conselho Municipal de Educação, cujo objetivo não é atender os interesses do poder executivo ou da câmara, mas sim da educação no nosso município, foi por isso e para isso que colocamos pessoas com a competência da Aline Rodrigues no comando da pasta. Mas, o que mais preocupa é não termos nenhum computador funcionando, não há um laboratório sequer, e isso que está acontecendo com a educação de Rubineia, em pleno século 21, é inaceitável. O que resta comprovado que faltou investimento, especialmente em equipamentos de informática. E os avanços foram conquistados graças a dedicação e conscientização da classe do setor.
JR & R: Rubineia tem uma história riquíssima, quais projetos, ou o que você pretende fazer pela  cultura do nosso município?
Prefeito: Nós temos grandes valores que muitas vezes passam despercebidos. Nós temos o Rio Paraná, que é o oitavo maior do mundo e o segundo do Brasil. Temos um patrimônio cultural imensurável, tanto é assim que Rubineia foi tema de novela e documentário, além da dedicação e do envolvimento do professor Nazareth dos Reis com a nossa cultura e, merecidamente empresta seu nome ao nosso museu. Vale ressaltar que o nosso museu ainda sobrevive graças a dedicação da Maria Ribeiro, cuja dedicação não foi reconhecida e nem valorizada nas últimas administrações. Para que a cultura aconteça é preciso valorizar, estimular e apoiar os profissionais do setor, para que as coisas realmente aconteçam. O momento é muito delicado, por causa da pandemia, e nós sabemos disso, mas precisamos planejar futuras ações como, teatro, música, museu, artistas plásticos e artesãos para que, quando a coisa se normalizar, possamos estar em condições de aplicar o que foi planejado, inclusive criando oportunidade para participação da terceira idade, que é um terço da população do nosso município, algo que servirá como uma terapia ocupacional, além da participação da juventude com o mote: vamos manter a cabeça ocupada, pois a cultura é fundamental para a evolução do ser humano.
JR & R: No setor social, numa cidade com muitos idosos, como é o caso de Rubineia, o que você pretende fazer para que o CCI – Centro de Convivência do Idoso, que é um espaço fantástico e com boa infraestrutura seja melhor utilizado? E a piscina, que ganhou cobertura, mas continua sem aquecimento, o que impede os idosos de praticarem da hidroginástica?
Prefeito: Quando participei da primeira reunião com a Flávia e toda a equipe do setor social, tomei conhecimento de uma notícia nada agradável, de que o CCI não está atendendo as normas para sua utilização, pois mesmo após a construção e em plena utilização, ainda existem situações pendentes a serem resolvidas e regulamentadas. Dentro de duas semanas você vai perceber que o CCI vai passar por abras de pintura e adequação na parte externa, além de outras situações que não foram atendidas. Quanto ao aquecimento da piscina, já entrei em contato com uma deputada estadual solicitando que ela libere uma emenda impositiva para Rubineia, e ela se comprometeu em liberar. Existem alguns trâmites burocráticos e também legais que precisamos seguir para que as coisas aconteçam dentro da legalidade. As melhorias alinhadas irão ofertar uma melhor qualidade de vida e bem estar social a população de idosos de Rubineia. Isso é um compromisso nosso, inclusive estamos querendo disponibilizar um profissional da área da educação física para acompanhar as atividades dos idosos, o que é muito importante.
JR & R: Rubineia é uma cidade potencialmente turística, tanto que através de projetos elaborados em gestões anteriores, ela se tornou MIT – Município de Interesse Turístico.  E de acordo com a Lei que versa sobre os Municípios Turísticos, Estâncias e MITs, que agora conta com o ranqueamento, ou seja, a cada 3 anos descem 3 Estância e sobem 3 MITs. Quais são os projetos para o desenvolvimento do turismo no município, para continuar no patamar de MIT. E qual as ações para o Meio Ambiente, que é matéria-prima do Turismo?
Prefeito: Eu não tenho dúvidas em afirmar que o turismo aqui é a principal fonte de recursos. Eu dei aula a alunos de um curso de turismo por quatro anos e isso me fez com que eu tivesse uma visão muito boa voltada para o setor. No passado, nós perdemos a oportunidade de ser Estância, por irresponsabilidade política na época (2001/2004), e quando falo irresponsabilidade política estou falando de um projeto cheio de falhas que perdeu por inconsistência. Todos sabemos que Rubineia tem um potencial imenso, só que carece de investimentos em infraestrutura, nós temos praias maravilhosas, uma orla de rio que poucos municípios do Planeta tem, são cerca de 70 km de margem do rio Paraná, Lagos para a prática de esportes náuticos, turismo rural, turismo cultural, nós somos um grande diamante esperando ser lapidado. Eu penso que agora durante a pandemia é complicado, mas precisamos planejar para nos estruturar, e eu tenho certeza que quando a pandemia for extinta, e nós temos esperança que isso não demore tanto, as pessoas estarão mais a vontade para poder viajar sem risco, e nós temos muito a oferecer, especialmente naquilo que a natureza e a cultura tem, mas temos muito pouco a oferecer na infraestrutura, pois temos praias abandonadas, não cuidaram e não zelaram desses espaços e quem frequentava não tinha que atender a nenhum regulamento e faziam o que bem queriam, e além da sujeira, ainda depredavam os espaços.  Quanto ao MIT, que é uma grande conquista, acho que temos tudo para chegar a Estância e, para isso, precisamos de investimentos, tanto no setor público quanto e principalmente no setor privado. No entanto, acho que para atrair investidores no segmento do turismo precisamos de uma campanha de visibilidade, precisamos dizer: olha nós existimos e temos isso a oferecer. O empresário precisa de apoio para investir, e isso não foi feito, basta olhar para os nossos empresários do setor que não tiveram nenhum apoio do poder público.Eles vivem por canta deles, o sonho deles e com o trabalho deles e, por isso, temos que aplaudir a todos eles. Precisamos atrair empresários da rede hoteleira, resorts para se instalarem aqui para que possamos explorar esse potencial maravilhoso, cuja infraestrutura ainda deixa muito a desejar. O Turismo é maravilhoso, ele preserva a cultura e o meio ambiente, gera emprego e renda. O Turismo é a indústria do século 21, com um olhar mais humano voltado para com o meio e com a gente. Quanto ao Meio Ambiente, infelizmente tenho que informar que ele está totalmente abandonado, e há mais de 6 anos não temos um aterro sanitário e temos que utilizar o aterro sanitário do vizinho, dependendo da boa vontade, além do custo que é elevado. Nós temos uma área na qual estão sendo depositados resíduos de forma ilegal, então tem que se reestruturar essa área, para darmos  uma destinação correta a esses resíduos. Só que o aterro sanitário tem um custo muito elevado, mas nós temos que fazer isso, estamos inclusive indo a Brasília para tratar de algumas demandas para o nosso município, e o aterro sanitário é uma delas. Os turistas que visitam o nosso município, que praticamente triplicam a nossa população nos finais de semana e feriados prolongados, precisam de um bom receptivo, afinal eles escolheram nos visitar e conhecer. Vale ressaltar que no passado algumas pessoas tentaram viabilizar a questão do aterro sanitário, mas foram impedidas, não sei porque. Mas temos que resolver essa questão, e isso é pra ontem. Aí eu pergunto, como iremos passar de MIT para Estância se não temos um aterro sanitário/. Nós temos que regulamentar a utilização das praias: do Sol, do Ipanema e de Esmeralda. É necessário que as pessoas saibam o que devem usar e como usar, simples assim. Já estamos em contato com a CTG, uma empresa especializada nessa área, para discutirmos o que fazer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *