Futuro político da deputada Flordelis: Parlamentar pode perder o mandato e ser expulsa do PSD…

Meteorito que caiu na Costa Rica pode ter componentes orgânicos importantes…
25 de agosto de 2020
Ribeiro Supermercado está em festa e comemora o 4º aniversário com sorteio de brindes a clientes e funcionários…
28 de agosto de 2020

Futuro político da deputada Flordelis: Parlamentar pode perder o mandato e ser expulsa do PSD…

A deputada federal e pastora evangélica Flordelis (PSD-RJ) foi apontada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como a mandante do assassinato de seu marido, o pastor Anderson do Carmo. Apesar de ser apontada como a mentora do plano para matar o marido, Flordelis não foi presa já que ocupa um mandato na Câmara dos Deputados, que deve analisar pedido judicial de afastamento da deputada. A Constituição garante imunidade prisional a parlamentares, exceto em casos de flagrante de crime inafiançável. Até o momento, não houve pedido judicial para o afastamento. Em entrevista à Rádio Guaíba, de Porto Alegre, o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), enfatizou que o “crime não tem relação com o mandato”, por isso, não prevê foro especial, mas para que a deputada seja presa ou afastada do mandato, é preciso que haja autorização da Câmara. “Se o Judiciário pedir o afastamento, vamos decidir. Em relação ao processo, tenho que analisar para que a Câmara avalie que providências tomar”, disse Rodrigo Maia. Caso a Câmara também abra processo disciplinar contra a deputada, a expectativa entre os parlamentares é de que ela seja cassada. Mas, atualmente, por conta da pandemia, as atividades das comissões na Câmara estão suspensas, inclusive do Conselho de Ética, que analisa processos de perda de mandato. Na segunda-feira (24), sete pessoas foram presas por envolvimento com o crime, e outras três já estavam presas. O Ministério Público do Rio de Janeiro indiciou Flordelis por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio duplamente qualificado, associação criminosa, uso de documento falso e falsidade ideológica. O PSD suspendeu a filiação da deputada e informou que adotará as medidas necessárias para expulsar a parlamentar do partido. “O PSD esclarece que desde o início acompanhou o caso da deputada Flordelis e sempre defendeu o andamento e aprofundamento das investigações. Diante do indiciamento da parlamentar, o corpo jurídico do partido adotará as medidas para a suspensão imediata de sua filiação e, a partir dos desdobramentos perante a Justiça, serão adotadas as medidas estatutárias para a expulsão da parlamentar dos seus quadros”, declarou o partido em nota assinada pelo presidente Gilberto Kassab.

Entenda o caso: O marido de Flordelis, o pastor Anderson do Carmo, foi assassinado a tiros no dia 16 de junho de 2019, na garagem de sua casa no bairro de Pendotiba, em Niterói. Ele havia chegado a pouco tempo, acompanhado de Flordelis, que afirmou se tratar de um assalto. O casal tinha 55 filhos, a maioria deles adotados. Dias depois, Fábio dos Santos, filho biológico da deputada, e Lucas dos Santos Souza, filho adotivo do casal, foram presos. Em depoimento à polícia, Flávio admitiu ter matado o padrasto. As investigações mostraram que a família tentou esconder evidências dos crimes, mas confissões e mensagens de celulares revelaram os planos para o assassinato e identificaram a deputada como mandante do crime. “Não se trata de uma família, mas de uma organização criminosa”, foi assim que o delegado Allan Duarte definiu o grupo formado por Flordelis (e os demais acusados de envolvimento no assassinato do marido dela, o pastor Anderson do Carmo, em junho do ano passado. Segundo a investigação da Polícia Civil, a parlamentar foi quem orquestrou o crime, que envolveu oito integrantes da família. (Fonte: Yahoo Notícias – Foto: Fernando Brazão/Agência Brasil/Handout via Reuters/Reprodução/Divulgação).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *