Coronavírus: Governador João Dória sobe o tom, cita “voz de prisão” e afirma que medidas mais rígidas devem ser tomadas, apenas 1 dos 94 deputados, Gil Diniz se pronunciou discordando do tucano…

Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo corrigiu, através de nota, informações sobre internações por Covid-19: “Dos 1.182 leitos disponíveis apenas 535 estão ocupados, e não 94% deles como informamos anteriormente”…
10 de abril de 2020
Inventário de Marisa Letícia surpreende juiz, com investimentos da ordem de R$ 256 milhões em CDB no Bradesco…
10 de abril de 2020

Coronavírus: Governador João Dória sobe o tom, cita “voz de prisão” e afirma que medidas mais rígidas devem ser tomadas, apenas 1 dos 94 deputados, Gil Diniz se pronunciou discordando do tucano…

Com 7.408 casos confirmados no estado de São Paulo, o governador João Doria Júnior anunciou que medidas mais rígidas poderão ser tomadas nos próximos dias. Ele apoia-se nos dados obtidos por operadoras de telefonia móvel que têm acesso a geolocalização de usuários. Segundo esses dados, o número do isolamento caiu para 49%.
Por causa disso, o tucano garantiu que as pessoas que desrespeitarem a quarentena e fizerem aglomerações nas ruas do estado serão advertidas, mas que se insistirem poderão ser presas pela Polícia Militar. “Se nós não elevarmos para mais de 60% na próxima semana, a prefeitura (da capital) e o governo tomarão medidas mais rígidas. Eu queria evitar isso porque medidas mais rígidas significam que as pessoas poderão receber não só multa, advertência, mas também voz de prisão”, disse em entrevista ao SP2, da TV Globo. E completou: “Se não houver, neste final de semana, consciência das pessoas, a partir da segunda-feira, 13/04, o governo tomará medidas mais rigorosas e mais duras, inclusive com a penalização e prisão das pessoas que desrespeitarem a orientação. Eu espero que não tenhamos que chegar nesse patamar e nesse nível, mas se tivermos que fazer é pela preservação da vida”.
Reação: No Twitter, a reação dos internautas foi imediata. O perfil ‘Isentões’, que é bastante influente entre o público conservador, um dos internautas publicou: “João Dória sabe que perdeu muito apoio da população paulista, então a solução que o sujeito encontrou, é utilizar todo o poder do Estado contra o povo. E tem gente que acha ruim o Bolsonaro ser militar por que ele é muito “autoritário”. Agora aguentem o engomadinho do centrão”. Ainda na percepção do perfil, a medida resultará na perda de apoio do governador. O deputado estadual Gil Diniz (PSL-SP) também repudiou as declarações do tucano: “Ordem ilegal não se cumpre! Espero que a PMESP seja legalista e se mostre uma instituição de estado e não serviçal de um playboy tirano. Isso é um acinte ao povo Paulista! Agora João Doria ameaça o trabalhador que ousar sair de casa. (Fonte: Conexão Política – Foto: Agência Brasil/Reprodução/Divulgação).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *